Pavel Steidl

.

Pavel Steidl nasceu em Rakovnik (República Checa). Desde que ganhou o primeiro prêmio no Concurso Internacional da Rádio França em Paris em 1982, tornou-se um dos solistas mais celebrados da sua geração. Entre os membros do júri estavam nomes como Alexander Tansman, Antonio Lauro, María Luisa Anido…

Em 1987 decidiu emigrar para a Holanda onde, após anos estudando e recebendo inspiração de vários artistas diferentes, criou o seu próprio estilo que não ignora a maneira autêntica de interpretar o repertório de guitarra do séc. XIX em instrumentos de época e incorporando até elementos da world music.

Pavel Steidl também compõe, interpretando frequentemente composições suas nos seus concertos.

Pavel Steidl foi escolhido pelos leitores da revista de guitarra italiana Guitart como o guitarrista do ano de 2004.

Pavel Steidl é um pedagogo da guitarra clássica na Academia de artes cénicas de Praga.

Pavel Steidl utiliza diversos instrumentos, mas principalmente Francisco Simplicio (1926), Franz Butcher (2008), Walter Verreydt (2016) e Federico Sheppard (2016); e na guitarra romântica: cópias da guitarra J.G.Stauffer feita por B.Kresse e um instrumento original da início do século XIX de Nikolaus G.Ries (cca. 1830).

Discografia:
Hudebni Mladi – Supraphone (1983), Tyden Nove Tvorby – Panton (1984), Pavel Steidl Debut – Panton (1985), Guitar / Music of the 18 th and 19 th centuries – Panton (1993), Masters of the Czech Classical Guitar – Pehy (1994), Kdyz mam nohy o mesic opreny – Panton (1994), Cantabile – Erasmus (1995) (with Jan Opsitos – violin), L. Legnani – 36 caprices op. 20, Fantasia op. 19 – Naxos (1998), N.COSTE – Guitar Music Vol.3 – Naxos (2000), N. Paganini – Sonate & Ghiribizzi for guitar – (Frame 2001) Italy, J. K. Mertz – Bardeklange, (Frame 2003), Four Agreements – fast book (spoken word – Jaroslav Dušek), (Tympanum 2009), And you go to Ithaca too – solo CD (William recording, 2013), European Guitar Quartet – Danza (Dr.Heart Music, 2014), Born to run – Ch.McDougall, fast book (spoken word – Jaroslav Dušek, Mladá fronta, 2015).

“Here was a guitarist who knew how to laugh with the music and share the joke with his audience. But behind the entertainer lies a serious artist, whose extended composition in memory of Jana Obrovska proved fully capable of stirring emotions at the other end of the scale. Never was a standing ovation more richly deserved. Pavel Steidl had won the hearts and minds of a capacity crowd.”

(Classical guitar magazine)